Estação Innovacities: como surgem ideias de sucesso.

Nossa região conta agora com um grande canal para a divulgação e incentivo da inovação. É o programa Estação Innovacities, na Rádio RCI Iguassu, de Foz do Iguaçu. O programa é apresentado pela Mariângela Lückmann, da ABIPIR (Associação Brasil Internacional dos Inventores, Cientistas e Empreendedores Inovadores).

No programa desta terça-feira, dia 28 de setembro, o programa recebeu o pesquisador do Grupo de Pesquisas ifinos, prof. Dr. Renato Lada Guerreiro. O professor Renato tratou o tema “Como surge uma grande ideia de sucesso?”. Publicamos no final deste post o link para o programa Estação Innovacities. Quem quiser adiantar até o diálogo entre a Mariângela e o professor Renato, bastar posicionar nos 24 minutos de reprodução.

Sobre a temática, publicamos abaixo um texto do prof. Renato:

“Uma grande ideia surge quando se vivencia a necessidade, quando se vive o problema. Muitas vezes, e infelizmente na maioria das vezes, as instituições de ensino e pesquisa, vivem numa redoma de vidro na qual não se vivencia a necessidade.

Por isso a importância dos alunos, pois eles carregam a vivência da necessidade. Por isso a importância do convívio com o setor produtivo, pois eles vivenciam o impacto dos gargalos todos os dias, e muitas vezes esse impacto se reverte em grandes prejuízos ou perdas de ganhos potenciais.

Outro ponto fundamental, talvez um dos mais críticos e cruciais de toda cadeia produtora de ideias de sucesso, é o professor/orientador. Mas não é qualquer tipo de professor. Esse processo requer um tipo específico de professor, tem que ser um professor do tipo “Sim”1. Esse sempre está aberto a novas ideias, e sempre está disposto a desenvolver algo novo. O professor do tipo “Não” acredita já ter vivenciado e experimentado tudo e tem a falsa ideia de que “sabe de tudo; e por isso sabe que isso ou aquilo não funciona”. O professor do tipo “Não” está presente na maioria dos departamentos e instituições e esse pensamento está enraizado nas estruturas da maior parte das instituições de ensino e pesquisa do Brasil. Também, está enraizada na grande maioria do setor empresarial brasileiro. Porque empresários e dirigentes de empresas também são dos tipos “Sim” e “Não”.

Uma nova geração de professores/orientadores do tipo “Sim” tem conseguido a difícil migração: do campo das ideias para o campo das ações (práticas). Não estranho, os melhores casos de sucesso são quando os trabalhos orientados pelos professores do tipo “Sim” se encontram com os empresários e dirigentes do tipo “Sim”. Sejam simples ou complexas, uma ideia inovadora requer ingredientes básicos: i) a ideia, ii) o(s) CPF(s) certos, e iii) recursos.

O brasileiro talvez seja o ser mais criativo do mundo. Mas toda essa criatividade é cerceada por um ecossistema inóspito. Por isso é importante preservar os poucos ecossistemas férteis que temos no Brasil, para que possamos aprender qual é o “processo ecológico” que torna esse ecossistema produtivo e próspero.

Diante desse cenário, quais são nossos desafios?

  1. Encontrar os CPFs certos. A ideia dos CPFs é fundamentada no fato de que tudo é feito por pessoas, não por instituições. Por isso a referência aos CPF e não aos CNPJs.

  2. Encontrar recursos certos, estruturais e financeiros. Os recursos são fundamentais para que a ideia faça a migração para a ação. No Brasil, as ideias e os recursos ainda não foram formalmente apresentados. Recurso não necessariamente é dinheiro. Mas os meios necessários, infraestrutura, equipamentos, apoio, possibilidades. Num ecossistema produtivo de sucesso isso tudo está presente, criando um círculo virtuoso.

  3. Encontrar as ideias certas. Há muitas ideias, boas e ruins. Independente de qual seja, só saberemos se é boa ou ruim, testando-as.

Não se espera ver grandes ideias surgindo fora das grandes universidades ou dos grandes centros. Cidades do interior são famosas por serem pacatas, sem grande agitação. Mas em Assis Chateaubriand, no Oeste do Paraná, um grupo de pesquisadores tem agitado o estilo de vida do interior com ciência, tecnologia e inovação. Professores e estudantes do IFPR Assis Chateaubriand estão mudando essa realidade, mostrando que grandes mudanças, não necessitam de grandes passos, mas passos firmes. Ideias simples, transformadas em grandes soluções.

Aqui surgiram projetos que foram premiados em vários eventos no Brasil, e agora, fomos convidados a mostrar nossos trabalhos nas maiores feiras internacionais de inovação do mundo, na China e na Índia. Na China, ficamos em 1° lugar, possibilitando a 8° posição ao Brasil no ranking final do evento.

Quando começamos, nem imaginávamos que fossemos conquistar tudo isso. Mas agora, decidimos que isso é só o começo. Não por delírios de grandeza, mas pela mudança que isso provoca nos alunos. E por consequência, a mudança que isso trouxe na nossa forma de ensinar.

Não é uma tarefa fácil, nem nunca será, mas estamos confiantes para enfrentar os desafios que virão.”

————————————————————————————————————————

1 Em alusão à ideia do filme “Sim, Senhor”. O Sim abre possibilidades e o Não fecha.

 


Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s